Programa Mundial de Doação de Mectizan

O programa

Durante as décadas de 1970 e 1980, pesquisadores da Merck Sharp & Dohme nos Estados Unidos descobriram e desenvolveram MECTIZAN, um medicamento para o tratamento da oncocercose ou “cegueira do rio”, a segunda maior causa de cegueira infecciosa em todo o mundo.


Em outubro de 1987, a MSD anunciou que doaria MECTIZAN® – o único medicamento bem-tolerado conhecido para impedir o desenvolvimento de oncocercose – a todos que precisem do medicamento, pelo tempo que for necessário, para tratar a cegueira do rio até que a doença seja eliminada como problema de saúde pública.


O programa é uma parceria única, envolvendo a Merck Sharp & Dohme, a OMS/Organização Panamericana de Saúde, o Banco Mundial, o Comitê de Especialistas de MECTIZAN, ministérios da saúde nacionais, representantes de comunidades internacionais de doadores, mais de 30 organizações não-governamentais, trabalhadores da saúde locais e membros da comunidade.


No Brasil, o trabalho existe efetivamente desde 1995 e é feito em conjunto com a Funasa e com organizações não-governamentais, que levam o tratamento com Mectizan a mais de 12 mil índios yanomâmis. São tribos que vivem em região de difícil acesso, no meio da Floresta Amazônica. Para viabilizar o programa no país, teve que ser criada uma infra-estrutura especial, com a participação dos setores público, privado e da comunidade, garantindo que o medicamento pudesse chegar a todos os índios da região.


New Component
Em 1984, Dr. Mohammed Aziz, então diretor senior de Pesquisa Clínica MSD, examina garoto africano cego pela oncocercose

Até 2007, quando completou 20 anos, o Programa de Doação de MECTIZAN aprovou mais de 530 milhões de tratamentos de oncocercose em 33 países da África, América Latina e Iêmen, tendo doado mais de 1,8 bilhão de comprimidos de MECTIZAN, ao custo de US$ 2,7 bilhões. O programa atualmente atinge mais de 69 milhões de pessoas a cada ano para o tratamento de oncocercose; cerca de 40 milhões de tratamentos de MECTIZAN também são aprovados a cada ano no que se refere à filariose linfática por meio do trabalho da Merck com a Aliança Global para Eliminação de Filariose Linfática.


Na América Latina, existem programas de tratamento no Brasil, Colômbia, Equador, Guatemala, México e Venezuela. Em 2007, tivemos uma grande notícia: o Ministério da Saúde da Colômbia anunciou que os níveis de infecção de oncocercose foram mantidos em um nível suficientemente baixo para interromper efetivamente o ciclo de transmissão no país. A comprovação veio por meio de estudos epidemiológicos realizados pelo programa colombiano contra cegueira do rio e o OEPA – Onchocerciasis Elimination Program of the Americas (Programa para Eliminação de Oncocercose nas Américas) -, do Centro Carter.


Esta é a primeira vez na história em que pudemos confirmar que a transmissão da doença foi interrompida em âmbito de um país por meio do tratamento de massa com MECTIZAN.

Copyright © 2013 Merck Sharp & Dohme Corp. Uma subsidiária da Merck & Co., Inc., Kenilworth, NJ, USA. Todos os direitos reservados.
Este site é para residentes no Brasil
Não tome nenhum medicamento sem o conhecimento do seu médico, pode ser perigoso para sua saúde.

TRUSTe - Click to Verify